Casal tenta pagar combustível com papel ungido

Você já imaginou pagar contas com cheques em nome de Deus? Foi mais ou menos isso que um casal tentou fazer.

O episódio aconteceu na cidade de Caçapava, São Paulo. Após pedir para completar o tanque de seu veículo com diesel, um casal de religiosos tentou pagar o posto de combustível com tiras de papel ungido por Jesus Cristo.

O casal disse considerar o papel sagrado e ungido, com valor equivalente ao dinheiro.

casal-tenta-pagar-combustivel-com-papel-ungido

De acordo com o gerente do posto de combustíveis, o motorista parou seu veículo em uma das bombas e pediu para que o tanque fosse completo.

O valor do abastecimento foi de R$ 115,00. O motorista então teria pedido ao frentista para pegar o dinheiro com uma passageira que estava no banco traseiro do veículo.

Na hora que o frentista foi receber, eles entregaram um papel quadrado em branco. Na hora ele veio me chamar e disse que tinha algo estranho. Fui até lá e falei que precisavam pagar, mas eles insistiam que o papel em branco era dinheiro. Achei até que alguém estava brincando comigo, mas era sério“, declarou o gerente do posto, Bruno Trevisoli.

papel-ungido-dinheiro-sagrado

Polícia teve que ser chamada

Para resolver o impasse, a Polícia Militar de Caçapava teve que ser chamada.

Cansados de tentar convencer o casal a pagar pelo combustível, os policiais questionaram: “Isso aqui é dinheiro?”

Enquanto o casal queria justificar que o papel era valioso, um dos policiais falou: “Isso aqui é um pedaço de folha de papel de caderno”.

Assista ao vídeo:

Sem acordo com os funcionários do posto que não queriam sair no prejuízo, os policiais ordenaram que o combustível fosse retirado do veículo.

Casal realmente parecia acreditar no valor do papel.

O policial que atendeu a ocorrência relatou que o motorista não tentou fugir em nenhum momento e que se tratavam de pessoas simples.

“Ele ficou esperando, não foi agressivo, eles realmente acreditavam que o papel valia dinheiro. Em 10 anos que estamos aqui, nunca vimos nada assim. E olha que já vi de tudo”, descreveu o gerente do posto.

A polícia acredita que os ocupantes do carro não tiveram motivação criminosa, pois, caso contrário, teriam tentado fugir. A situação foi tratada como um caso de fanatismo religioso, onde pessoas com pouca instrução sem enganadas por religiosos de má fé.

1 Comentário

Adicione um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

loading...